REGISTROS

NOTÍCIAS

REUNIÃO ORDINÁRIA DA ASRM: Encontro histórico reelege diretoria com retomada presencial

Uma imagem colhida durante a reeleição da chapa liderada pelo presidente Luiz Lavinsky, na reunião ordinária deste dia 30 de abril, carrega a importância de um registro documental único na história da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina (ASRM)..A cena fixada pela câmera fotográfica mostrando os presentes de mãos erguidas, legitimando, por aclamação unânime,os eleitos para mais um ano de mandato, testemunhou o primeiro encontro inteiramente presencial dos acadêmicos no RS, após o início da vigência das medidas sanitárias restritivas impostas pela pandemia da Covid 19 no início de 2020. Passados dois anos de isolamento físico, limitados às comunicações distanciadas das lives virtuais, confrades e confreiras puderam, enfim, se reencontrar no auditório do Cremers.no dia derradeiro do mês, com momentos celebrados no tom de confraternização costumeiro e de confessada emoção.

O anfitrião e presidente do Cremers, Carlos Sparta de Souza, pronunciou-se reafirmando a importância da parceria com a ASRM que “sempre tem voz dentro do Conselho e de outras entidades médicas”

Não foi apenas uma manhã de comemoração

Os participantes da reunião ouviram também a homenagem póstuma ao acadêmico Waldir Veiga Pereira, apresentada pelo orador da entidade, acadêmico Waldomiro Manfroi, acrescida de manifestações elogiosas de colegas que o conheceram ao longo da jornada profissional interrompida com seu falecimento em 18 de novembro do ano passado.

Excesso de cesarianas

A palestra magna, sob responsabilidade da acadêmica Ana M. B. Menezes, fechou a programação com o tema da “Saúde Materno- Infantil, três décadas de coortes em Pelotas”. A professora da UFPEL fez um resgate de pesquisa epidemiológica iniciada em 1982, tendo ela acompanhado as trajetórias de mães e filhos em coortes de nascimento em 1993, 2004 e 2015. O estudo evolutivo revelou dados comparativos importantes coletados nestes períodos como, entre outros, o aumento da obesidade, a elevação do sobrepeso e o grande crescimento dos partos através de cesarianas. Quando ela deu à luz à filha na Inglaterra sequer foi-lhe apresentada a alternativa de uma cesariana e o longo trabalho de parto foi considerado plenamente normal. Hoje, a intervenção antecipando o nascimento é acordada entre mulheres e médicos; é mais rápida, se ‘perde’ menos tempo “, afirmou ela, classificando a situação como “trágica e inaceitável”.

A conferência suscitou um debate prolongado que envolveu vários participantes e alongou-se por mais de uma hora.