REGISTROS

NOTÍCIAS

Homenagem a Mário Rigatto pode mudar de local

Obra está instalada na Avenida Ipiranga e sofre com vandalismo

Quem para no cruzamento da Avenida Ipiranga com a Rua São Luis já notou, alguma vez, o momento de aço em forma de um cigarro, o sinal proibitivo indicado pela letra “X” e uma gravata borboleta, em frente a um prédio comercial da região. A obra, inaugurada no dia 21 de maio de 2001, foi feita pela escultora e designer Glória Corbetta. A peça é uma importante homenagem ao médico e membro da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina, Doutor Mário Rigatto (28/12/1928 – 17/1/2000). O acadêmico dedicou sua vida ao ensino e a pesquisa, tendo como foco as doenças pulmonares. Foi um dos implementadores da Residência Médica nos cursos de medicina na região Sul. Através da dedicação da profissão, dedicou-se a causa da luta antitabagismo, que ganhou representação na escultura, através da grande letra xis em vermelho: o sinal mundial do combate ao vício da nicotina. E na ponta do monumento está a marca registrada do homenageado: uma gravata borboleta.

Apesar da importância, a homenagem está sofrendo com a ação do tempo e do vandalismo. Além de deteriorado, uma placa de metal que explicava o motivo da obra foi furtada. Desde 2015, o acadêmico Luiz Roberto Marczyk acompanha as tratativas para remoção da estátua do atual local, em frente ao prédio da sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Rio Grande do Sul, para o pátio da Faculdade de Medicina da UFRGS. “Essa obra é de fundamental importância para a memória do Doutor Rigatto e para lembrar as pessoas dos riscos causados pelo cigarro”, afirma o médico Marczyk. O academico lamenta ainda o estado de má conservação em que a escultura se encontra. Após algumas reuniões, o CREA-RS e a UFRGS firmaram um termo de cooperação onde será acordada a retirada e a revitalização do monumento. O termo ainda passará pela Prefeitura Municipal.