REGISTROS

NOTÍCIAS

CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA ASRM: Inteligência artificial não é ficção científica

Por mais de uma vez, durante sua conferência, o engenheiro informático de Portugal, Rui Miguel Barbosa, recorreu à advertência de que a inteligência artificial não é ficção científica, como se pode imaginar por conta do estímulo do imaginário cinematográfico. Também a AI não resolve tudo por obra e graça da tecnologia computacional. Trata-se de uma poderosa ferramenta que auxilia a Medicina – assim como outras áreas da atividade humana- ao transferir conhecimento limpo muito rapidamente, até mesmo em tempo real, através do trabalho desenvolvido por máquinas treinadas com base em incontáveis exemplos de casos passados.

“Tudo começa com dados, informações e cálculos matemáticos que são processados, interpretados e padronizados para aplicação na Medicina, por decisão exclusiva do médico”, disse o português, rejeitando o tratamento de “doutor”, fazendo questão de esclarecer que não é médico mas apenas casado com uma enfermeira da Ilha dos Açores que ministra analgésico em caso de alguma dor de cabeça. “Nós somente ajudamos os médicos com o nosso trabalho na informática. Jamais os médicos serão substituídos neste processo”, acrescentou, no evento promovido pela diretoria de Ciência e Tecnologia da ASRM dirigida pelo acadêmico Roberto Giugliani, realizado na noite desta terça-feira (30).

CEO da DaveScop, premiada empresa especializada em Business & Artificial Intelligence, com sede no Porto, que tem a legitimação da parceira Microsoft e emprega 140 técnicos (inclusive brasileiros que atuam desde o Brasil), Barbosa ilustrou sua exposição mostrando cases registrados no Centro Hospitalar São João. Expôs exemplos de procedimentos aplicados no maior hospital de Portugal, nos quais processos de inteligência artificial elaborando, rapidamente, informações selecionadas permitiram otimizar atos de prevenções e tratamentos, antecipando ou evitando internações em UTIs e mesmo óbitos.

A palestra, que suscitou interesse manifestado em questionamentos e comentários dos participantes da live, está na íntegra no YouTube e nos vídeos disponíveis neste site da ASRM. Para assistor ao vídeo, clique AQUI