MEMBROS HONORáRIOS

João Eduardo Oliveira Irion

Natural de São Simão, interior de Cacequi (hoje pertencente a Rosário do Sul), nasceu em 1929. Estudou no curso ginasial de Alegrete, onde morou em pensão desde os 11 anos de idade. Cursou o científico em Santa Maria, antes de prestar vestibular para Medicina em Curitiba. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná em 1954, especializando-se em Radiologia e Medicina Nuclear. Durante o curso, trabalhou na Santa Casa da capital paranaense. E, no ano seguinte, atendeu convite inesperado do doutor José Mariano da Rocha, diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) para ser professor e começou a lecionar aos alunos da primeira turma de Medicina da instituição de ensino superior, onde ensinou por 35 anos.

Realizou especializações em Biofísica, no Rio de Janeiro, e Medicina Nuclear, em São Paulo. Fundou, em 1972, a Unimed Santa Maria; foi seu primeiro presidente, ocupando o cargo por 17 anos. Destacou-se na constituição do Sistema Unimed, auxiliando na criação da Confederação Nacional das Cooperativas Médicas, a Unimed Brasil, em 1975, da qual foi diretor por várias gestões. Igualmente foi um dos responsáveis pela criação da Unimed Seguradora, sendo o seu primeiro presidente, cargo que ocupou em várias gestões.

Também presidiu, por três gestões, a Federação Unimed do Rio Grande do Sul. Colaborou para a fundação de diversas cooperativas de médicos no interior do estado, como as Unimed de Guaíba, Novo Hamburgo, Cachoeira do Sul, Cruz Alta, São Borja, Santana do Livramento, Uruguaiana. Fora do Brasil, visitou Colômbia, Chile, Paraguai e outros 20 países semeando a ideia do associativismo dos médicos.

Entre os diversos títulos que acumulou ao longo da carreira, destacam-se o de professor de Fisiologia, Biofísica e da Disciplina de Fisiodiagnóstico do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFSM, entre tantos outros. Aposentou-se como professor de Radiologia da Universidade Federal de Santa Maria. Foi o fundador do primeiro Serviço de Medicina Nuclear em Santa Maria e se tornou proprietário do Instituto São Lucas. Além disso, trabalhou na implantação do serviço na Casa de Saúde dos Ferroviários, Sampar e também nos hospitais de Santiago e São Pedro do Sul. Atuou ativamente para a implantação do serviço pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Devido a sua importância na história da especialidade, foi homenageado em 2016 durante o XXX Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear, por toda sua dedicação e envolvimento para aprimorar a medicina.

Publicou o livro Cintilografia Óssea com 99mTc-MDP – Fundamentos da Interpretação (Revinter, 2016), considerada como a obra mais completa na língua portuguesa sobre o assunto e um marco na literatura médica nacional e internacional.

Também escreveu sobre a história do Lions Clube e um panegírico louvando a trajetória de José Mariano de Rocha Filho, publicado no livro Em Prosa e Verso III. Ocupa a cadeira 19 na Academia Santa-Mariense de Letras. É autor, ainda, de cinco livros sobre o cooperativismo.

Casado desde 1955 com a paranaense Márcia, com quem teve teve quatro filhos, netos e bisneto. Faleceu em 19 de julho de 2017, aos 88 anos.