MEMBROS HONORáRIOS

Carlos Oswaldo Degrazia

Carlos Oswaldo Degrazia, filho de Osvaldo Pasqual Degrazia e de Alba Carvalho Degrazia, nasceu em Itaqui em 1922. Fez o curso primário no Colégio Elementar e no Colégio Santa Terezinha, ambos na cidade natal. O curso secundário foi feito no Ginásio Marista Sant’Ana de Uruguaiana e no Colégio Nossa Senhora do Rosário, também dos irmãos maristas, em Porto Alegre. Formou-se na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1947.

Nesta mesma universidade fez carreira de professor, desde assistente voluntário no Departamento de Patologia até professor adjunto neste mesmo departamento, quando exerceu intensa atividade didática junto aos alunos das faculdades de Medicina, Odontologia e Farmácia. Foi professor fundador na Faculdade de Medicina da Fundação Universitária de Rio Grande (FURG), onde lecionou Histologia e Embriologia.

Também foi professor fundador na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Nela, lecionou Histologia e Patologia. Ainda em Santa Maria, foi professor dos cursos de Odontologia e de Veterinária e ainda médico chefe do Laboratório de Anatomia Patológica do Hospital Astrogildo de Azevedo. Na Faculdade de Odontologia da Pontifícia Universidade Católica (PUC), foi professor fundador encarregado da disciplina de Histologia Bucodentária. Colaborou nas áreas de macro e microfotografias no Departamento de Neuroanatomia da UFRGS.

Organizou e lecionou em vários cursos de patologia, salientando-se o de Bases Morfológicas da Patologia Oftálmica. Suas preparações usando técnicas de imuno histoquímica em anatomia e patologia ocular asseguraram-lhe divulgação internacional que incluíram a famosa Clínica Barraquer de Barcelona. Foi anatomopatologista do Estado do Rio Grande do Sul (Patologia Forense) e anatomopatologista do Hospital Presidente Vargas, em Porto Alegre. Foi dos primeiros a realizar exames anatomopatológicos rápidos no transoperatório, usando fixação, a quente, da biópsia e coloração pelo Azul de Toluidina.

Amante da natureza, pesquisador incansável na busca do belo e da verdade, o professor Degrazia escreveu livros que falam de filosofia, ciência e literatura: O Hino de Galeno, ensaio sobre ciência e religião (AGE, 2011); O Hino de Galeno II, sobre evolucionismo e outros ensaios (Bestiário, 2016); Poesia, verdade, filosofia (Bestiário, 2017); e Vila Alba e outras crônicas (Bestiário, 2017).

Publicou, em revistas científicas, trabalhos sobre Citologia, Patologia Geral, Patologia Ocular e História da Medicina. Em outras revistas e jornais, colaborou com artigos literários ou de opinião sobre questões fundamentais do universo e da existência humana. Participou da série Médicos (Pr)escrevem e foi o organizador de edição histórica da Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) em 2011.

Pensador católico e formador de opinião, o professor Degrazia tem intensa atividade comunitária. Participa de entidades médicas desde os tempos de Centro Acadêmico Sarmento Leite (CASL), passando pela Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (CREMERS) e Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS). Foi escolhido como membro honorário da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina. O professor Degrazia é casado com Circe Porto Candal Degrazia e pai de Antônio Carlos, José Eduardo, Luís Fernando, Eliana e Eleonora.