CADEIRAS - MEMBROS TITULARES

TITULAR

Waldir Veiga Pereira

Waldir Veiga Pereira, filho de Palmiro Sallaberry Pereira e de Marina Veiga Pereira, nasceu em 04 de fevereiro de 1939 em Arroio Grande (RS).

Fez curso primário em colégio municipal em Arroio Grande e o curso secundário na escola Visconde da Graça em Pelotas. Prestou exame vestibular para a Faculdade de Medicina de Santa Maria, então pertencente à URGS em 1960. Em 1962 foi agraciado em 1º lugar com o prêmio Procienx organizado pelo profº Mário Rigatto para estagiar de dezembro a março no Serviço do profº  Humberto Delboni Filho na Escola Paulista de Medicina.

No retorno foi admitido como monitor de Patologia no Serviço dirigido pelo profº Oswaldo Degrazzia onde permaneceu durante o período de 04 anos. A partir do seu 1º estágio na Escola Paulista de Medicina, freqüentou até o final do curso médico, oserviço de clínica médica da Escola Paulista de Medicina sob a direção do profº Jairo Ramos nas divisões de Hematologia  e Patologia dirigidas respectivamente pelos professores Marcello Pio da Silva e Silvio Carvalhal.

Com a experiência adquirida e o intercâmbio mantido com a Instituição, tornou-se possível fundar o primeiro Laboratório de Hematologia com finalidade específica de diagnóstico de hemopatias e citologia para outras neoplasias, junto à cadeira de Patologia no Hospital Universitário de Santa Maria (centro) com uma pequena seção de captação e análise no Hospital de Caridade Dr. Astrogildo de Azevedo.

Em 1970 foi admitido na Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia como especialista. Neste ano também foi aprovado como professor assistente de Clínica Médica na área de Hematologia. Na mesma época já havia fundado um laboratório especializado nas diversas áreas da Hematologia, abrangendo além da oncologia; a imunologia, a coagulação e o fracionamento das hemoglobinas.

Surgiam na transição das décadas de 1960-1970, alguns trabalhos que apontavam para a possibilidade de cura da Leucemia Linfocítica Aguda da Infância e Adolescência, neoplasia mais comum nestes pacientes. No entanto, a descrença na comunidade médica internacional era avassaladora. Embora houvesse evidências concretas, fugia ao paradigma ser o câncer curável fora dos limites das intervenções cirúrgicas ou dos campos de irradiação.

A possibilidade da cura fluia pela Inteligência de um visionário: Dr. Donald Pinkel que implementou a chamada Terapia Total desenvolvida no Saint Jude Children’s Research Hospital.

Entusiasmado por este desafio, submeteu-se ao concurso denominado Educational Council for Foreing Medical Graduate em 1972 e, em 1974 estagiou no Michel Rease Hospital em Chicago onde foi admitido como médico assistente, tendo estagiado nas áreas de Hematologia-Oncologia e do Laboratório de Coagulação. No retorno permaneceu um período no Saint Jude Children’s Research Hospital para ser submetido a avaliação para o concurso que contemplava a bolsa David Karnofski aberta à concorrência para médicos e cientistas dos Estados Unidos e do Exterior. Foi aprovado e admitido como Fellow durante o período de 1975 a 1977.

No seu retorno ao Brasil foi iniciado um trabalho de divulgação dos avanços alcançados no tratamento da Leucemia Linfocítica Aguda, tendo para isto proferido diversas conferências e organizado grupos de especialistas com o patrocínio da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e do Colégio Brasileiro de Hematologia. Em 1980 inaugurava-se o 1º Protocolo Brasileiro de Tratamento da Leucemia Linfocítica Aguda na Infância e Adolescência. Ao longo de 20 anos houve um incremento progressivo no índice de cura desta doença que privilegiou grande parte desta população brasileira. Cerca de 05 protocolos foram implementados por um grupo de especialistas de Santa Maria, São Paulo, Campinas, Bahia, Rio de Janeiro, Paraná e Porto Alegre.

Em 1991 foi aprovado em concurso público para professor titular de Hematologia-Oncologia da Universidade Federal de Santa Maria.

Em 1993 foi admitido como assistente para treinamento em Transplante de Medula Óssea no Fred Hutchinson Research Center em Seattle nos Estados Unidos da América.

Em Santa Maria desenvolveu a função de professor de Hematologia-Oncologia da Universidade Federal durante 40 anos. Neste período, administrou a parte didática e clínica do curso e chefiou o Serviço de Hematologia-Oncologia tendo orientado várias turmas de residentes.

Na década de 1980 participou com o Dr. Dalnei Veiga Pereira e colegas, da fundação do primeiro Centro de Transplante de Medula Óssea do Rio Grande do Sul tendo este procedimento sido realizado pela 1ª vez em nosso Estado, nesta Instituição.

Em 1997 foi criado o Laboratório de Imunogenética para dar suporte ao Serviço de Transplante de Medula Óssea com recursos provenientes da Fundação Banco do Brasil e, em 2000, com a participação da Dra Virgínia Maria Coser, o Laboratório de Citogenética foi complementado com a citogenética molecular.

Com recursos da Fundação Banco do Brasil foi ampliado em 2001 o Laboratório de Hematologia com uma área moderna de Biologia Molecular e Imunofenotipagem que representou um grande avanço no diagnóstico e avaliação terapêutica de doenças neoplásicas.

Em meados da década de 2010, com recursos do BNDES e UFSM foi fortalecida a especialidade da Oncologia Pediátrica com a construção de um prédio que incluía, além de assistência médica: área de lazer, biblioteca, brinquedoteca, inclusão digital e alimentação para crianças e adolescentes com neoplasias malignas ou doenças hematológicas. Hoje este Serviço atende cerca de 4.000 consultas e 500 internações anuais respectivamente.

Entre as atividades científicas participou de mais de 30 projetos na qualidade de investigador.

Atualmente é conselheiro das Sociedades; Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e da Sociedade de Oncologia Clínica e do corpo clínico Editorial da Revista da Sociedade Brasileira de Hematologia.

É membro da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica, Sociedade Internacional de Oncologia Pediátrica e Member Emeritus of the American Society of Clinical Oncology.

Foi autor ou coautor de mais de 170 publicações em revistas nacionais e estrangeiras que incluíram: artigos, resumos e capítulos de livros. Proferiu mais de 200 conferências em Congressos e cursos especializados. Exerceu atividades associativas sendo a principal a Presidência da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica e Presidência transitória da Sociedade Latino Americana de Oncologia Pediátrica. Pertenceu à diretoria da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e por vários mandatos foi Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica. Foi Presidente por dois mandatos da Sociedade de Medicina de Santa Maria, quando liderou a fundação da UNIMED local.  Ainda como atividade docente foi professor fundador da cadeira de Hematologia das Faculdades: Católica de Medicina de Pelotas e de Passo Fundo.

Exerceu a função de consultor ad hoc da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e foi membro consultivo do Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde de 1992 a 1995.

Participou como membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Cancerologia e da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Integrou bancas examinadoras de mestrado, doutorado e livre docência na Universidade Federal do Paraná (Curitiba), Escola Paulista de Medicina (São Paulo), Universidade de São Paulo e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e Universidade do Rio Grande do Sul.

Desempenhou o cargo de Diretor de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário de Santa Maria de 1986 a 1990, 1992 a 1995.

Teve sua área de pesquisa mais focada na Leucemia Linfocítica Aguda e Mielocítica Aguda na Infância e Adolescência. Defendeu a tese de doutorado na Universidade de São Paulo (USP), intitulada: Aspectos Epidemiológicos, biotipologia e evolução do Tratamento da Leucemia Linfocítica Aguda na Infância e Adolescência no Rio Grande do Sul.

Foi admitido como membro titular da Academia Sul Rio-Grandense de Medicina em 28 de novembro de 2008. Ocupa a cadeira de número 12, que tem como patrono Carlos Wallau e que foi ocupada pelo acadêmico fundador Carlos Huberto Wallau que passou a Emérito.

Recebeu em 2012 o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Santa Maria.